VÍDEO: Cacique denuncia a morte de peixes no rio Gorgulho e diz que indígenas pararam de consumir água

0
56

Rio abastece aldeia Kãkaka, onde vive o povo Xerente. A suspeita dos moradores é de que água tenha sido contaminada por agrotóxicos usados em plantações. Cacique de aldeia mostra morte de peixes em Tocantínia
Indígenas da aldeia Kãkaka estão preocupados com a mortandade de peixes no rio Gorgulho, localizado entre as cidades de Tocantínia e Pedro Afonso. Para chamar a atenção das autoridades, o cacique Ranulfo Xerente, conhecido como Neca, fez um vídeo mostrando vários peixes mortos na beira do rio. Ele disse que o povo Xerente está com medo e parou de consumir a água.
O vídeo foi gravado nos últimos dias. Nele, Neca explica que há três dias vem registrando a morte dos animais. O líder ressalta que a água está imprópria para o consumo humano e dos animais.
“É um rio permanente, que tem muita água, mas para vocês verem que foi um veneno muito forte. Hoje está com três dias que está morrendo peixe, a gente está sem usar água. Um agrotóxico bravo que está causando a morte de peixes”, disse ele.
No vídeo, Neca cita que o problema pode ter sido provocado por causa de defensivos usados nas plantações de soja e de cana, em propriedades rurais da região.
Após receber a denúncia, a Coordenação Regional Araguaia Tocantins, da Funai, encaminhou um ofício, na última terça-feira (10), para o Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), Ibama e o Ministério Público Federal cobrando soluções para o caso.
O g1 entrou em contato com os órgãos e aguarda uma resposta.
Cacique denuncia morte de peixes no rio Gorgulho, no Tocantins
Divulgação
Veja mais notícias da região no g1 Tocantins.

Fonte: G1 Tocantins