Secretaria publica plano de retomada de acompanhantes em maternidades públicas do TO

0
66

Publicação atende determinação da Justiça em pedido feito pela Defensoria Pública e Ministério Público. Documento estabelece critérios e procedimentos para admissão dos acompanhantes nas unidades. Hospital Maternidade Dona Regina, em Palmas
Reprodução/TV Anhanguera
O plano de retomada dos acompanhantes nas maternidades públicas do Tocantins foi divulgado nesta quarta-feira (29) pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). O documento descreve quais os critérios e procedimentos para admissão das pessoas que poderão acompanhar gestantes em trabalho de parto. A publicação atende uma determinação da Justiça em pedido feito pela Defensoria Pública e Ministério Público.
Conforme o plano, a autorização para entrada do acompanhante está condicionado à apresentação de teste RT-PCR, ou outro exame com mesma eficiência, com resultado negativo para o coronavírus. O exame terá que ser realizado no período de 48h, ou em tempo inferior, antes da internação da paciente.
O acompanhante também precisa estar assintomático e não ter mantido contato com pessoas com sintomas gripais ou com diagnóstico de Covid-19 no intervalo mínimo de 14 dias.
Fica autorizada a admissão de acompanhante durante o trabalho de parto e parto, desde que observadas todos os critérios de biossegurança apresentados neste instrumento.
Acompanhante após o parto deve ser permitido somente em situações onde há instabilidade clínica da mulher ou condições específicas do RN, ou ainda quando a puérpera é menor de idade.
A unidade hospitalar fica autorizada a proceder com a retirada do acompanhante, em caso de descumprimento das normas sanitárias e/ou no período pós-parto.
As unidades hospitalares deverão disponibilizar máscara cirúrgica, assegurar os meios de higienização das mãos e disponibilizar os equipamentos de segurança sanitária (EPI’s), além de impor medidas preventivas para que a gestante e o acompanhante permaneçam no mesmo ambiente de modo seguro.
Ainda conforme o documento, além de não apresentar sintomas relacionados à Covid-19, o acompanhante não pode ser do grupo de risco do coronavírus, como idosos, imunodeprimidos e pessoas com comorbidades. Também recomenda que seja evitada a troca de acompanhantes para minimizar a circulação de pessoas.
O surgimento de sintomas em qualquer momento do trabalho de parto e parto implicará no afastamento com orientação a buscar atendimento em local adequado.
O plano de retomada estabelece ainda que a coleta do material biológico para o teste de Covid será de responsabilidade dos municípios/unidades de saúde. Também estabelece a possibilidade da utilização testes rápidos.
Entenda
A suspensão da presença dos acompanhantes em hospitais públicos estaduais começou ainda em abril de 2020 devido à pandemia de coronavírus. Em agosto de 2021, a Justiça estadual estabeleceu medidas transitórias até que o governo apresentasse seu próprio plano.
Desde que a proibição começou a vigorar muitas gestantes e parentes demonstraram preocupação com a medida. Só em Palmas, mais de 40 mulheres procuraram ajuda dos defensores públicos. Em julho deste ano mulheres fizeram um protesto na frente do Fórum de Palmas.
Veja mais notícias da região no g1 Tocantins.

Fonte: G1 Tocantins