Rapper marrenta, girl group, diva alternativa e pop romântico deprê: as apostas internacionais de 2023

0
48

Indicados para nostálgicos, Latto, Joji e FLO trazem ecos de R&B e pouca pretensão de inovar. Lista tem ainda o pop mais experimental de Caroline Polacheck. Podcast tem trechos das músicas. Caroline Polacheck, Latto, Joji e FLO: as apostas do pop internacional para 2023
Divulgação/Site oficial dos artistas
Quatro nomes que já mostraram força no disputado mercado americano surgem como favoritos para despontar em 2023.
Em comum, Latto, Joji e FLO trazem ecos de R&B e pouca pretensão de inovar. O trio é indicado para ouvintes nostálgicos.
Já vista no Brasil, na primeira edição do Primavera Sound, Caroline Polacheck tem som mais experimental e diversificado.
Nesta semana, o g1 faz uma série especial de apostas musicais para 2023. Do indie pop ao trap romântico, conheça artistas prontos para estourar.
WIU, o trapper apaixonadão
Iguinho e Lulinha, os vaqueiros com tecla SAP
Luan Pereira, o boiadeiro baladeiro
Jota.pê, o violão emergente da MPB
Ouça trechos das músicas no podcast acima e leia mais abaixo.
Latto
A rapper americana Latto
Divulgação/Site oficial
Alyssa Michelle Stephens deve bombar ainda mais em 2023. Latto é o nome artístico desta americana de 23 anos, que vem ganhando prêmios como BET e People’s Choice Awards. Assim como nomes recentes do rap mais pop (Doja Cat, Megan Thee Stallion), ela manda bem rimando e cantando. O flow é o maior trunfo dela para se destacar entre tantas novas cantoras.
“Big Energy” contabiliza mais de 40 milhões de visualizações no YouTube. A música é construída a partir da levada de “Genius of Love”, da banda new wave Tom Tom Club. A música de 1981 já havia sido usada para Mariah Carey, em “Fantasy “, de 1995.
Joji
O cantor japonês Joji
Divulgação/Site oficial
Joji é o nome artístico do japonês George Kusunoki Miller, que já foi comediante e youtuber, mas hoje emposta a voz em músicas de arranjos solenes. O som é meio lo-fi, com um quê de R&B. Ele já tem três álbuns, mas estourou mesmo em 2022, com “Glimpse of us”. Essa balada desesperada chegou no top 10 do hot 100 da Billboard e no topo do ranking global do Spotify.
As outras músicas do Joji são parecidas, todas super sérias: parece que o cara tomou Zolpidem e foi para o estúdio. Vamos ver se elas vão fazer tanto sucesso “Glimpse of us”.
FLO
O grupo inglês FLO
Divulgação/Site oficial
Será que os girl groups vão voltar em 2023? Seria legal ter de volta grupos que unem boas vozes e coreografias, uma fórmula que deu tão certo com Spice Girls, Destiny’s Child e TLC. Claro que existem grupos de garotas bombando no K-Pop, mas a aposta agora é em um som mais nostálgico, com ecos do R&B anos 90.
O trio britânico não faz nada inovador, a pegada não é essa. Embora o grupo tenha se formado em Londres, há diversidade na formação: Stella Quaresma tem origens moçambicanas; Jorja Douglas nasceu na Alemanha; e Renée Downer veio de Londres mesmo. Elas se conheceram na escola de artes pela qual já passaram Amy Winehouse e Dua Lipa. Então, resta esperar para ver se o FLO será o próximo nome na lista de alunas famosas da Sylvia Young School.
Caroline Polacheck
A cantora americana Caroline Polachek
Divulgação/Site oficial
A última aposta talvez seja um pouco mais manjada. Caroline Polacheck abriu turnê da Dua Lipa, fez show no Primavera Sound e está oficialmente na ativa desde 2005. Mas, de certa forma, ela ainda é uma novidade. Caroline Elizabeth Polachek tem 37 anos, faz um pop alternativo, indicado para quem curte Lorde, Billie Eilish e derivados. Antes da carreira solo com o próprio nome, ela fez parte de uma banda chamada Chairlift e teve projetos com outros nomes.
O som é um pop mais experimental e diversificado. Ela já disse que quando era mais nova ouvia Bjork, Enya, Kate Bush e Fiona Apple. O que dá para ter uma noção do que ela quer. “Sunset”, por exemplo, é toda criada a partir de uma guitarra espanhola, com arranjo bem flamenco…

Fonte: G1 Entretenimento