Polícia Civil do Tocantins deflagra operação Óbulo de Caronte e prende suspeito de participação em homicídio no município de Caseara

0
157

A motivação do crime seria uma disputa por terras ricas em madeira e propícias à extração ilegal no Pará

A Polícia Civil do Tocantins, por meio da 54ª Delegacia de Polícia (54ª DPC – Caseara), deflagrou nesta quinta-feira, 9, a operação Óbulo de Caronte, que investiga a morte de um pescador, ocorrida no final de junho deste ano, no referido município. A operação cumpriu três mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão preventiva em desfavor da pessoa que prestou auxílio material no planejamento e consumação do delito. O suspeito de ter executado a vítima ainda está foragido.

Segundo o delegado titular da 54ª DPC – Caseara, Antônio Onofre, o homicídio ocorreu na margem do lago do Casé, próximo à residência da vítima. O suspeito da autoria do crime teria planejado e executado uma emboscada, efetuando um disparo de arma de fogo no tórax da vítima, que apesar de ser socorrido no hospital da cidade, faleceu minutos depois.

O delegado informou que no dia em que ocorreu o crime, o suspeito e o suposto partícipe se apresentaram, espontaneamente, na 9ª Central de Atendimento da Polícia Civil (Paraíso do Tocantins) e negaram envolvimento no fato, alegando possuírem um álibi que confirmava a versão deles, sendo liberados. Contudo, após investigações da 54ª DPC – Caseara, foi comprovado que o álibi apresentado era falso. A motivação do crime, conforme o delegado, seria uma disputa por terras ricas em madeira e propícias à extração ilegal no Pará.

O Delegado ressalta que a operação foi resultado de trabalho investigativo técnico-científico, por meio de elementos de informação, evidências, provas e laudos periciais, que deram conta de apontar as conclusões até o momento obtidas. O suspeito está preso na Cadeia Pública de Araguacema e encontra-se à disposição da justiça.  As buscas para a captura do suposto autor do crime prosseguem.

A operação Óbulo de Caronte contou com o apoio da 6ª Divisão Especializada de Repressão ao Crime Organizado (DEIC – Paraíso do Tocantins) e da 5ª Delegacia Regional de Polícia Civil (DRPC) – Paraíso do Tocantins.

Óbulo de Caronte

O nome da operação se deve a ter sido encontrada, na cavidade oral do cadáver, uma moeda colocada por familiares supersticiosos. Óbulo de Caronte trata-se de um termo de origem grega para retratar o costume de colocar uma moeda dentro ou sobre a boca de uma pessoa assassinada antes do seu sepultamento.

De acordo com a mitologia grega, a moeda, ou óbolo, destina-se a pagar o barqueiro que conduz as almas do mundo dos vivos para o mundo dos mortos, que na mitologia grega é chamado de Caronte. Tradicionalmente, em algumas regiões do Brasil, o costume de colocar moedas na boca dos defuntos é uma superstição para que se evite a fuga do assassino ou para que se revele a autoria do crime.

 

Por: Cláudia Santos/Governo do Tocantins