Piscicultura no Tocantins é contemplada em projeto do Consórcio Brasil Central

0
183

Trata-se do projeto piloto de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) destinado à piscicultura.

 

A piscicultura do Tocantins terá mais um reforço para o fortalecimento do setor. Trata-se do projeto piloto de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER), que será desenvolvido na cadeia da piscicultura.

 

O assunto foi abordado nesta quarta-feira, 15, em videoconferência entre os estados que fazem parte do Consórcio Brasil Central, os quais vão desenvolver o projeto piloto. Técnicos da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Aquicultura (Seagro) e do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) participaram da videoconferência.

 

Em decorrência da situação da Covid-19, o projeto iniciará com o desenvolvimento de um aplicativo de gestão com plataforma de diagnóstico, avaliação e acompanhamento de gestão das propriedades rurais, inicialmente para os piscicultores, mas pode ser expandido para outras atividades agropecuárias. Na avaliação do secretário-executivo da Seagro Adenieux Santana, o aplicativo vai agregar valor ao projeto piloto. “Acreditamos que a metodologia de ATER auxiliada com ferramentas importantes como o aplicativo, vai promover o sucesso do agricultor de maneira geral”, enfatizou.

 

O diretor de Assistência e Extensão Rural do Ruraltins Kin Gomides destaca a plataforma do app. “O aplicativo é bastante pertinente, pois estamos caminhando para uma ATER 4.0 – tecnologia avançada. Com a plataforma podemos ter  um histórico de informações e distribuir o conteúdo de forma muito rápida, alcançando um público que ainda não tem despertado para a importância de melhor gerenciar a sua propriedade, numa visão mais empresarial nas pequenas e médias propriedades rurais”,  explicou.

 

Por sua vez, o zootecninista da Diretoria de Aquicultura da Seagro Tiago Tardivo, o aplicativo vai auxiliar o trabalho realizado na extensão rural. “Será uma excelente ferramenta de gestão e apoio junto aos produtores”, considerou.

 

Para o gerente de Aquicultura do Ruraltins Andrey Costa, o app vai aproximar o técnico do agricultor e reduzir o custo da assistência técnica presencial. “A ida de um técnico até o agricultor pode ser substituída por informações via o app. É claro, que a assistência técnica presencial continua, mas de maneira  mais econômica”, pontuou.

 

Consórcio

 

O Consórcio Brasil Central é formado pelos estados do Tocantins, Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e o Maranhão. A criação do consórcio entre os cinco estados e o Distrito Federal foi resultado de reuniões ocorridas durante o Fórum de Governadores do Brasil Central em Goiânia (GO), Cuiabá (MT) e Palmas (TO), em 2015.

 

Créditos: Mariah Soares/Governo do Tocantins