Inglaterra deve declarar seca em oito regiões

0
51

Após reunião com especialistas o governo acredita que o melhor caminho seja economizar em água. Áreas de Londres estão incluídas. Sol forte brilha sobre a cidade de Londres, na Inglaterra
Toby Melville/REUTERS
A Inglaterra deve declarar seca em oito regiões do país nesta sexta-feira (12) em decorrência do clima pouco úmido e de muito calor que se extende pelo território há quase um mês.
As prolongadas condições de seca, com algumas áreas do país não recebendo chuvas significativas durante todo o verão, fizeram com que o Grupo Nacional da Seca declarasse uma seca oficial, de acordo com documentos vazados de uma reunião na sexta-feira vista pelo jornal britânico “The Guardian”.
A Agência do Meio Ambiente entrará em seca em oito de suas 14 áreas: Devon e Cornwall, Solent e South Downs, Kent e sul de Londres, Hertfordshire e norte de Londres, East Anglia, Tâmisa, Lincolnshire e Northamptonshire e East Midlands.
Além dessas, outras duas regiões devem entrar em seca até o fim do mês: Yorkshire e West Midlands.
A condição atingida é a segunda em uma escala de quatro níveis de seca prescritos pelo Grupo Nacional da Seca. Isso significa que o racionamento de água pode ocorrer em todo o país
Medidas mais severas também podem ser implementadas nesta fase, incluindo a proibição do uso de mangueiras na limpeza de prédios, veículos e janelas.
Acredita-se que metade da safra de batata seja perdida, pois não pode ser irrigada, e até mesmo culturas geralmente tolerantes à seca, como o milho, estão perdendo força.
Situação na França
Apoiados por reforços europeus, os bombeiros da França continuam combatendo os incêndios florestais em diferentes pontos do país nesta sexta-feira (12), revividos por uma nova onda de calor.
Os quase 1.100 bombeiros franceses mobilizados na quinta-feira receberam a ajuda de 361 soldados de países europeus vizinhos, como Alemanha, Polônia, Áustria e Romênia, além de vários aviões-tanque da União Europeia.
Vários focos de incêndio permanecem ativos nesta sexta-feira no território francês, incluindo à beira-mar no sudoeste, no centro montanhoso.
No Gironde (sudoeste), as chamas queimaram 7.400 hectares desde terça-feira, e dez mil pessoas foram retiradas, algumas pela segunda vez até agora neste verão.
No total, mais de 40.000 hectares foram queimados este ano na França, segundo as autoridades, enquanto as medições de satélite apontam para 50.000 hectares.
De qualquer forma, os números multiplicam a média anual dos 15 anos anteriores, como na Espanha. O forte calor do verão também afeta Alemanha e Portugal.

Fonte: G1 Mundo