Idoso fica com hematomas e olho roxo após briga com PMs: ‘Muito dolorido e vergonhoso’

0
57

Militares queriam entrar em hotel para revistar hóspedes sem ordem judicial. Caso foi registrado em Talismã, na região sul do estado. Homem é agredido por policiais no TO, após impedir entrada sem ordem judicial em hotel
Dolorido e com vergonha, é assim que se sente o idoso Eurípedes Lima após trocar socos com policiais militares que tentaram entrar no hotel dele, sem uma ordem judicial, para revistar hóspedes. O caso foi registrado em Talismã, na região sul do estado.
A briga aconteceu na noite de sexta-feira (12) depois que a Polícia Militar recebeu uma denúncia sobre um carro locado no Paraná que ainda não tinha sido devolvido. O veículo foi rastreado pela locadora até o hotel e havia suspeita de apropriação indevida.
“Muito dolorido e vergonhoso. Inexplicável. Não é que eu não queria que eles entrassem, só queria que eles fossem policiais adequados, educados, me pedissem autorização para entrar, mas eles chegaram falando que isso aqui é um lugar público. Até onde eu sei isso aqui não é público, até onde sei é um local privado”, disse o dono do hotel.
LEIA TAMBÉM
VÍDEO: Idoso troca socos com policiais militares que tentavam entrar em hotel para investigar hóspedes
PM é filmado arrastando mulher pelo cabelo e dando socos, chutes e coronhada em homem durante festa
A abordagem da polícia foi registrada pelas câmeras de segurança do hotel. É possível ver o empresário conversando com os militares até ser empurrado para dentro da recepção. Depois disso ele troca socos os policiais até ser imobilizado e algemado.
Idoso ficou com olho roxo após brigar com policiais
Reprodução/TV Anhanguera
“Tratou meu marido como se fosse um criminoso, um marginal, bandido. Eles fizeram isso tudo [os policiais]. Eles não tiveram o mínimo de respeito com meu marido que estava aqui na recepção trabalhando”, disse a esposa do empresário, Cecília Girotto.
A Polícia Militar disse que os militares tentaram conversar com o idoso, que teria desrespeitado a ordem da polícia. A PM declarou que o idoso precisou ser algemado e foi autuado pelos crimes de lesão corporal leve dolosa, desobediência, resistência e desacato.
O g1 questionou a Polícia Civil sobre a investigação do caso, mas não houve resposta.
Entrada sem mandado
Segundo a Constituição Federal, a “casa é asilo inviolável do indivíduo, ninguém nela podendo penetrar sem consentimento do morador, salvo em caso de flagrante delito ou desastre, ou para prestar socorro, ou, durante o dia, por determinação judicial.”
Para a Justiça o quarto alugado enquadra-se na proteção ao domicílio, bem como as moradias provisórias em hotéis. O advogado criminalista Zenil Drumond explicou ao g1 que nesta ocorrência, a princípio, seria necessária uma ordem judicial para entrar no estabelecimento.
“Se o flagrante fosse por uma perseguição em que os policiais estão em ato contínuo até chegarem ao hotel seria possível adentrar sem que haja um mandado judicial, mas nesse caso específico entendo que há necessidade de um mandado judicial ainda que o paradeiro do veículo tenha sido informado pela proprietária”, explicou.
Por outro lado, o especialista explicou que o idoso deverá responder pelas agressões aos militares.
“O empresário estava no exercício da razão dele, mas no momento em que houve a agressão e o desacato, não deixa de responder pelos dois crimes. Também existe o contraditório e a ampla defesa, em que ele poderá explicar o que fez tomar essa atitude”, argumentou.
Veja mais notícias da região no g1 Tocantins

Fonte: G1 Tocantins