Hospital admite que pacientes internados com outras doenças foram contaminados pela Covid-19

0
99

Casos foram no Hospital Regional de Araguaína, no norte do Tocantins.

A direção do Hospital Regional de Araguaína, no norte do Tocantins, confirmou que pacientes que procuraram a unidade para tratamentos diversos acabaram infectados com a Covid-19. A informação consta em um documento que afirma que os pacientes estão precisando tratar as duas doenças ao mesmo tempo. O comunicado está assinado por Sérgio Nogueira de Aguiar, que é diretor técnico do HRA.

O administrador Anailson Viana, que é filho de uma das vítimas, contou como tudo aconteceu. “Meu pai deu entrada para tratamento cardíaco. Após 15 dias houve piora no seu quadro clínico. Foi encaminhado mesmo para a sala amarela. Meu pai tem 61 anos, é cardiopata, é diabético, é hipertenso e mesmo nessa situação, de grau de risco, ele foi exposto ao Covid-19. Não só ele, mas todos os pacientes que estavam na sala amarela, inclusive alguns profissionais de saúde”.

Atualmente o pai de Anailson, Ananias Evangelista, já recebeu alta e está em casa. Ainda no documento, Sérgio Nogueira afirma que há pacientes em várias alas do hospital com suspeita ou com diagnóstico confirmado para o coronavírus. Ele afirma que o plano de contingência foi colocado em prática e que mesmo assim as infecções aconteceram.

O atendimento a estes pacientes está sendo feito pelos médicos especializados nas doenças pelas quais eles entraram na unidade e que somente em casos de urgência e emergência serão acionados médicos assistentes ou do pronto socorro. O documento, que tem data do dia 16 de junho, foi publicado pelo Jornal do Tocantins e teve o conteúdo confirmado pela TV Anhanguera e pelo G1.

Em nota, a Secretaria Estadual da Saúde disse que há 28 casos positivos de pacientes com coronavírus no HRA e que todos estão isolados e recebendo assistência pelos médicos de suas patologias e também recebendo assistência de acordo com o protocolo de saúde.

A SES disse ainda que foi formalizado um pedido para que essas 28 pessoas sejam transferidas para leitos clínicos, já que momentaneamente o HRA é referência para casos graves. O estado de saúde de cada um é monitorado por uma equipe multiprofissional. Atualmente eles não têm indicação de que vão necessitar de uma UTI.

A Secretaria afirmou ainda que adotou protocolos de saúde como a testagem de todos os pacientes que apresentem sintomas nas unidades e distribuição de equipamentos de proteção individual para as equipes de saúde.

 

Por: TV Anhanguera