Homem é condenado por matar a mãe e jogar corpo em cisterna após ter sido abandonado na infância

0
62

Crime seria vingança de Rodrigo Sousa Cunha contra Maria Aparecida de Jesus Gonçalves. Ele ainda teria utilizado cartão para sacar aposentadoria dela após o crime. Corpo de mulher foi encontrado em Gurupi
Jairo Santos/TV Anhanguera
Rodrigo Sousa Cunha foi condenado a 27 anos de prisão pelo assassinato da mãe biológica dele, Maria Aparecida de Jesus Gonçalves, que tinha 72 anos na época do crime. O Tribunal do Júri concluiu que o homicídio foi uma vingança porque o réu foi abandonado por Maria Aparecida na infância e acabou sendo adotado por outra família.
O caso gerou grande repercussão em Gurupi, onde tudo aconteceu, após o corpo da idosa ser encontrado em uma cisterna no quintal da casa dela, na Avenida Minas Gerais, centro da cidade. Rodrigo Sousa tinha retomado o contato com a mãe biológica e estava vivendo com ela quando cometeu o crime.
A conclusão da Justiça é de que Maria Aparecida foi espancada até a morte por Rodrigo Sousa. Após o crime, ele ainda teria usado o cartão dela para fazer saques do benefício da aposentadoria em pelo menos três datas diferentes.
O homem estava preso desde o dia em que o corpo foi encontrado e confessou tudo perante o tribunal. Os crimes pelos quais ele foi condenado são homicídio qualificado, ocultação de cadáver e estelionato. Ele vai seguir detido porque o regime inicial da pena é aberto.
O crime foi descoberto após os irmãos do suspeito, que moram em outros estados, não conseguirem mais contato com a mãe. Um deles informou à TV Anhanguera que a idosa não tinha moradia fixa e passava temporadas nas casas dos filhos.
Veja mais notícias da região no g1 Tocantins.

Fonte: G1 Tocantins