Governo do Tocantins faz mediação entre Energisa e empresários de Palmas

0
125

Durante reunião nesta terça ficou definido o atendimento para avaliação de demandas segmentadas

 

Cerca de 100 mil empresas, entre estabelecimentos comerciais e indústrias, são atendidas pelo Grupo Energisa no Tocantins. O impacto da conta de energia foi uma das queixas apresentadas na segunda-feira, por presidentes de associações, durante reunião com o secretário da Indústria, Comércio e Serviços (Sics) e presidente da Agência do Desenvolvimento do Turismo, Cultura e Economia Criativa (Adetuc), Tom Lyra. Em busca de soluções para este problema, um novo encontro ocorreu nesta terça, 26, desta vez com dois representantes da empresa de energia, o diretor de Relações Institucionais, Alan Kardec Moreira, e o coordenador de Grandes Clientes e Poder Público, Roger Pereira da Silva.

Alan Kardec explicou que já foram feitas consultas Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) sobre reduções de tarifas e impostos, mas há uma preocupação com a normalização das atividades e impacto nas distribuidoras, pois o Governo Federal já está assumindo a demanda dos usuários de baixa renda. “Estamos negociando parcelamento, e estamos dispostos a trabalhar com cada segmento”, explicou, enquanto Roger Pereira lembrou que mudanças contratuais podem aumentar o valor da conta, e não reduzir. Hoje, muitas empresas trabalham no sistema de “demanda contratada”.

A presidente do Convention & Visitors Bureau de Palmas, Ilza Correia, relatou problema vivenciado em seu hotel, assim como a presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-TO), Ana Paula Setti, informou a dificuldade dos associados até mesmo em parcelar suas dívidas. Já o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Palmas (CDL), Silvano Portilho, disse ser inviável a contratação de dívida sem faturamento.

Tom Lyra sugeriu um mutirão de análise das demandas dos diversos segmentos empresariais, em relação à empresa de energia, e ressaltou a possibilidade de adesão aos programas de incentivo fiscal ofertados pelo Governo do Estado, como o Prosperar e o Proindústria. “O governador Mauro Carlesse tem trabalhado diariamente na busca de soluções para esta crise, conhecer os problemas de cada setor é o primeiro passo”, pontuou.

“O comprometimento da receita impacta a todos e a orientação é uma obrigação da distribuidora”, enfatizou diretor de Relações Institucionais, que se dispôs a atender todas as entidades para avaliação dos casos específicos. Caberá à Adetuc montar um cronograma de atendimento.

 

Por: Seleucia Fontes/Governo do Tocantins