Cheiro de incêndios de Portugal chega a Madri, na Espanha

0
42

O órgão de emergências da cidade afirmou em uma rede social que recebeu 380 ligações de pessoas assustadas com o cheiro forte e com a fumaça perto de suas casas, e por isso entendeu que era preciso esclarecer que os sinais de incêndios que ocorriam em outro país. Fogo em Orjais, em Portugal, em 16 de agosto de 2022
Patrícia de Melo Moreira/ AFP
O cheiro dos grandes incêndios de Portugal chegou nesta terça-feira (16) a Madri, a capital da Espanha, disseram os serviços de emergência espanhóis.
O órgão de emergências da cidade afirmou em uma rede social que recebeu 380 ligações de pessoas assustadas com o cheiro forte e com a fumaça perto de suas casas, e por isso entendeu que era preciso esclarecer que os sinais de incêndios que ocorriam em outro país.
A Espanha também luta contra incêndios, mas não foram esses os que causaram o cheiro e a fumaça em Madri.
Uma imagem de satélite divulgada pelo órgão de emergência mostra uma coluna de fumaça de mais de 300 quilômetros que separam o incêndio de Portugal e a capital espanhola.
Imagem publicada pelo serviço de emergências de Madri mostra coluna de fumaça de Portugal até Madri, na Espanha
Reprodução/Redes Sociais @112cmadrid
Os dois países combatem grandes incêndios florestais que já consumiram mais de 15 mil hectares no parque natural português Serra da Estrela, e 10 mil na província espanhola de Alicante.
O fogo de Valle d’Ebo, em Valência, começou com um raio que caiu na noite de sábado e seguia fora de controle. Se alastrou rapidamente, com a ajuda de ventos fortes, e obrigou mais de 1.500 moradores a deixarem suas casas, informou o governo regional.
“A situação meteorológica é muito adversa”, com fortes ventos oscilantes, e “é primordial garantir a máxima segurança às pessoas”, disse o presidente da região, Ximo Puig, em declarações no Twitter.
Em outro incêndio na região, entre 11 e 14 passageiros ficaram feridos, três gravemente, quando o trem em que viajavam se deparou com as chamas, segundo as autoridades locais.
“Há três feridos graves por queimaduras”, indicou a secretaria de Saúde do governo valenciano, especificando que um deles teve que ser transferido de helicóptero para o hospital.
“Seguindo as notícias do incidente ocorrido no trem” de Valência, escreveu a ministra espanhola dos Transportes, Raquel Sánchez.
Em Portugal, fortes ventos reativaram o incêndio que na semana passada afetou o parque natural Serra da Estrela, reconhecido pela Unesco e que havia sido “controlado” na noite de sexta-feira, indicou nesta terça-feira a Defesa Civil.
Mais de 1.000 bombeiros foram enviados ao local para tentar acabar com este incêndio no centro do país, que já queimou mais de 15.000 hectares, segundo dados provisórios das autoridades portuguesas.
A Espanha registrou 391 incêndios neste ano, alimentados por temperaturas muito altas, às vezes acima de 40ºC, e secas persistentes.
De acordo com os últimos dados do Sistema Europeu de Informação sobre Incêndios Florestais (EFFIS), os incêndios queimaram mais de 270.000 hectares este ano na Espanha, o país mais afetado da Europa.
Os incêndios na Espanha foram especialmente devastadores este ano, pois destruíram até agora em 2022 mais que o triplo da área queimada em todo o ano de 2021, quando 84.827 hectares arderam.
Portugal registrou este ano 195 incêndios, que destruíram 84.717 hectares, segundo dados do EFFIS.

Fonte: G1 Mundo