Alvaro Lancellotti ecoa Jorge Ben Jor e Tincoãs no quarto álbum solo, ‘Arruda, alfazema e guiné’, previsto para outubro

0
4

Com 12 músicas, o disco gera o primeiro single em 19 de julho com o samba ‘Maneira de ver’. Alvaro Lancellotti lança o álbum ‘Arruda, alfazema e guiné’ pelo selo norte-americano Amor in Sound, de Mario Caldato Jr. e Samantha de Lucena-Caldato
Daryan Dornelles / Divulgação
♪ Enquanto gravava o quarto álbum solo, Arruda, alfazema e guiné, Alvaro Lancellotti produzia espetáculo do ciclo Pra gira girar, criado para celebrar a obra do grupo afro-baiano Os Tincoãs.
Intensificado por conta do espetáculo e da criação do projeto lusitano Roda de santo, apresentado em Lisboa, o mergulho do artista carioca na espiritualidade afro-brasileira influenciou de forma determinante o disco gavado no Estúdio Rocinante – situado em Araras, Petrópolis (RJ), na serra fluminense – e programado para ser lançado em outubro via Amor in sound, selo fonográfico capitaneado pelo produtor Mario Caldato Jr. com Samantha de Lucena-Caldato.
“O processo de estudar Os Tincoãs, mergulhar no ifá e fazer um treinamento de ioga – tudo isso enquanto criava esse disco – foi crucial para moldar tanto o som quanto o conteúdo lírico”, adianta Alvaro, filho do compositor Ivor Lancellotti e irmão do baterista Domenico Lancellotti, além de professor de ioga.
Em Arruda, alfazema e guiné, o cantor, compositor e violonista dá voz a 12 canções que formam o repertório inédito e autoral. Todas as faixas foram gravadas com todos os músicos tocando juntos com a intenção de recuperar o som quente dos discos antigos.
Uma dessas 12 músicas, Maneira de ver, foi escolhida para apresentar e anunciar o álbum Arruda, alfazema e guiné em single agendado para 19 de julho com capa de arte psicodélica assinada por Sébastien Caudron.
Maneira de ver é samba em que o cantor, compositor e violonista reverbera outra influência fundamental do artista – o som de Jorge Ben Jor, em especial o do disco A tábua de esmeraldas (1974) – na gravação que tem produção musical orquestrada pelo próprio Alvaro Lancellotti com Adriano Sampaio e Pedro Costa.
A coprodução é de Mario Caldato Jr. e Diogo Gomes, responsável pelo arranjo de sopros da faixa, mixada por Caldato e masterizada por Robert Carranza.
“A gente vibra com a flor / Quando o sol beija uma pétala / A gente firma com alegria / Cada pegada sobre a terra / Maneira de ver tudo passar / Sorrir até debaixo d’água / À beira do mar / Ou em tempestade / Sobre um caminho de coragem”, reflete Alvaro na letra do samba.
Gravado com os toques de músicos como Adriano Sampaio (percussão), Dirceu Leite (flautas e clarone), Domenico Lancellotti (bateria e percussão), Guto Wirtti (baixo), Marlon Sette (trombone) e Pedro Costa (guitarra), além de Diogo Gomes nos sopros, o álbum Arruda, alfazema e guiné sucede os álbuns Mar aberto (2008, disco gravado ao vivo em 2007 e indisponível no edição digital), O tempo faz a gente ter esses encantos (2012) e Canto de Marajó (2016).
Capa do single ‘Maneira de ver’, de Alvaro Lancellotti
Arte de Sébastien Caudron

Fonte: G1 Entretenimento